Diferenças entre Colagem,Frottage, Textura e outros termos.

  Textura: qualidade da superfície que pode ser reconhecida tanto pelo tato como pela visão.Cada superfície se apresenta em diferentes níveis de texturas: ásperas, lisas, macias, foscas, transparentes. Há texturas, entretanto que não tem nenhuma qualidade tátil  e quando o suporte é papel, as chamamos de texturas gráficas.Tanto a textura tátil como a textura visual, às quais  temos acesso com maior freqüência, podem ser transformadas em texturas gráficas. Cada papel tem uma textura característica que pode ser enriquecida desenhando-se uniformemente sobre ele. Tais desenhos ou representam as texturas reais ou simplesmente sensibilizam uma página em branco. Desse modo existem inúmeros meios gráficos, pinturas, colagens, decalques e outras técnicas, que darão aparência de textura de acortdo com seu emprego.

Material usado na colagem: recorte de revista + texto de jornal e caneta com ponta de feltro
Material usado na colagem: recorte de revista + texto de jornal e caneta com ponta de feltro

      Colagem: recurso técnico que resulta em material colado num plano qualquer.  Na Pintura foi a  partir do Cubismo que os artistas passaram a usar pedaços de jornais; madeira e outros objetos colados na tela. Fruteira e Copo (1912), de Georges Braque (1882-1963), é considerada uma das primeiras colagens da arte moderna. E inaugura uma série de pesquisas relacionando superfícies,texturas e volumes usando esse procedimento.

        Max Ernst (1891-1976), pintor,desenhista, escultor e escritor alemão, um dos fundadores do movimento “Dada” e um dos grandes nomes do Surrealismo,  adota então  termos como “collage”  e  “frottage” por volta de 1925.

         No Brasil usaram colagens: Carlos Scliar (1920-2001), Piza (1928), Guignard (1896-1962),Jorge de Lima (1893-1953) ,Athos Bulcão (1918-2008),nos relevos espaciais de Hélio Oiticica (1937-1980) e nos casulos e bichos de Lygia Clark (1920-1988).

       O que pode conter uma colagem? Bem, quase tudo. As possibilidades criativas são infinitas! Da cola até a tinta,  do papel feito à mão ao tecido e a costura. A pesquisa para encontrar materiais, o planejamento  do espaço  onde colocar cada elemento e  a exploração das novas formas  criadas é em si um exercício de arte.

fig.3
textura feita com sacola plástica tipo rede

Frotagem: A palavra “Frottage” é de origem francesa – frotter, que significa  esfregar, friccionar. Por ser um recurso gráfico bem espontâneo, nos proporciona criar belos e inusitados efeitos plásticos. Consiste em colocar  uma folha de papel sobre uma superfície áspera e esfrega-la, pressionando-a com um bastão de cera até a textura aparecer, de modo que o papel de cima copie o aspecto da superfície posta debaixo dele.Por se tratar, de um decalque sobre uma matriz, a frotagem nos permite a repetição da ação e consequentemente a reprodução do desenho várias vezes seguidas.

                                                                       Acesse a galeria para ver mais.

Assemblage: o termo é incorporado às artes em 1953 pelo pintor e gravador francês Jean Dubuffet . Em 1961, acontece a exposição The art of Assemblage,no  Museum of Modern Art – MoMA de Nova York, reunindo não apenas obras dele, mas também:

1.  as Combine Paintings de Robert Rauschenberg (1925-2008) caracterizadas pela aplicação de diversos materiais sobre a tela, sobretudo papéis e materiais planos que propõem múltiplas associações e leituras na medida em que não há temas predeterminados ou sentidos últimos que organizem os conjuntos.

2. as  Junk Sculptures,de David Smith  que fazem uso de refugo industrial, sucatas e materiais descartados de todo tipo evocando o ambiente caótico das cidades e o fluxo desordenado das ruas .

No Brasil, é possível localizar procedimentos próximos ao da assemblage:

em alguns trabalhos de Wesley Duke Lee (1931-2010),Nelson Leirner (1932) e Rubens Gerchman (1942-2008) como O Rei do Mau Gosto (1966) – com tecido, vidro, asas de borboleta e tinta acrílica – Rochelle Costi (1961) – Toalha, Vegetais Mofados e Toalha, Flores Mortas (ambos de 1997) – e Leda Catunda (1961),Jardim das Vacas (1988) e Camisetas (1989).

Como usar textura no Scrap? Veja aqui (no  Scrap Reciclado).

Fontes de pesquisa:  http://delicadamentemaleducado.blogspot.com.br/2009/06/max-ernst.html

 http://epgbufms.blogspot.com.br/2012/10/epgb-colagem-assemblage-e-frotagem.html

 http://www.wsws.org/pt/2007/may2007/por3-m09.shtml

Anúncios

Deixe um comentário aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s